Mantaray e Beachcomber: para casais ou solteiros

FullSizeRender 54

Mantaray – Pela primeira vez na viagem ficamos em um resort que fazia jus ao título que carregava no nome. Não me entendam mal, os outros hotéis pelos quais passamos eram bons, mas passavam longe de serem hotéis cinco estrelas. Na verdade estavam, muitas vezes, mais para pousadas do que para empreendimentos turísticos de ponta. Mas estamos aqui para falar de Mantaray, então vamos adiante.

Também pela primeira vez, tivemos que pagar pela alimentação. Cerca de AU$50 dólares australianos por dia na ilha, o que dá direito a café da manhã, almoço e jantar (isso nós já sabíamos desde a época que compramos o pacote). Todas as refeições devidamente bem servidas e bem saborosas. Sem falar no visual espetacular da sacada do restaurante. Contudo, o que mais interessa nessa ilha não é a comida. Sem dúvida é um dos locais mais bonitos pelo qual passamos na viagem. A ilha montanhosa abriga bangalôs no meio da “floresta”. Ficamos em uma desses. Sem vista para o mar (de novo), mas a poucos metros de distância.

O snorkeling no local é de longe o melhor que fizemos em Fiji. Outro nível. Completamente diferente dos mergulhos que fizemos em outras ilhas. O arquipélago conta com uma vida marinha abundante devido aos corais naturais na região. Um espetáculo de cores. Passamos horas a fio mergulhando sem prestar atenção no relógio. Quase perdemos a hora de sair para um passeio que nos levaria ao outro lado das montanhas para assistir ao pôr do sol.

Aliás, depois da janta participamos de uma apresentação cultural das mais completas que vimos por lá. Como fomos em janeiro, não tivemos a oportunidade de mergulhar com as famosas arraias gigantes (Mantaray) que dão nome ao resort.  Elas passam pela região entre maio e outubro.

Nota – 9.5 – A ilha e o hotel são excelentes. Contudo, perdeu 0.5 pontos, pois apenas os bangalôs à frente do mar possuem banheiro. O resto é compartilhado. Não que seja sujo ou coisa do tipo, mas não é a coisa mais confortável do mundo. Acordei no meio da noite nauseado por conta do passeio de barco que fizemos e como a chuva era muito forte, tive que ficar dentro do quarto, pois era impossível ir ao banheiro. De resto, um dos melhores locais por qual passamos em Fiji.

FullSizeRender 42

Beachcomber – Nossa última ilha (dentro do pacote de 12 dias que compramos) é uma das mais famosas de Fiji. Infelizmente não pela beleza, mas por ser conhecida como a “party island”. Bem, talvez seja o melhor local para badalar em dezembro ou na alta temporada, mas definitivamente não em meados de janeiro. Passamos apenas uma noite lá e aproveitamos para fazer a nossa festa de despedida com nossos amigos suecos (que nos acompanharam por quase toda viagem) e o casal de chilenos animadíssimos.

Bebemos a noite toda e rimos das nossas histórias. Por volta das três da madrugada, Mônica resolveu voltar para o quarto. Resolvi tomar a saideira com os chilenos. Cerca de 10 minutos depois meu telefone tocou. Algo extremamente incomum na viagem. Achei estranho e quando atendi era a Mônica, muito assustada do outro lado. Enquanto ela se trocava, viu pelo reflexo do espelho um dos funcionários da ilha espiando-a pela janela. Voltei para o quarto voando. Quando cheguei lá, não encontrei o tarado. Apenas a Mônica, ainda em choque. Chamamos o staff do hotel que ao invés de tomar uma atitude nos disse que na ilha tinha um fantasma (acreditem). Dormimos preocupados e ao acordarmos nos deparamos com a ilha lotada de asiáticos e indianos que visitam as ilhas mais próximas nas chamadas day trips.

Contamos os minutos para pegar o barco de saída. Definitivamente não gostamos de Beachcomber. No final, nos despedímos dos chilenos. Nosso “último” adeus. Mônica chorou. Mas estávamos felizes. Terminamos nossos 12 dias com diversas histórias, amigos e a certeza que tivemos a oportunidade de conhecer um dos locais mais bonitos do mundo, que pela distância, poucos brasileiros têm a chance de conhecer. Sem dúvida, somos privilegiados.

Nota – 7 – O hotel de Beachcomber é bastante maneiro. As acomodações coletivas, ideal para os backbackers, também. Contudo, o staff despreparado e as day trips entupidas de asiáticos e indianos tornam a ilha um pouco (bastante) desagradável por conta da multidão de pessoas nas filas para almoçar e fazer atividades. As águas são limpas e azuis, mas sem muita vida marinha. Se você está procurando festa, pode ser o lugar para você. Mas vá em alta temporada. Em baixa temporada NÃO tem público suficiente para festa. Se está atrás de locais bonitos (e também com festa todas as noites), fuja de Beachcomber.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s