Dica de viagem na Austrália: Blue Mountains

uptoyoubrasil blue mountains

Por Zeca Moreira

O inverno em Sydney se aproxima do fim. As temperaturas começam a ficar mais agradáveis durante o dia. As noites ainda são frias, abaixo dos 15 graus na maioria das vezes. Mas isso logo logo vai acabar e o verão já está logo aí para aproveitarmos mais uma vez as maravilhosas praias de Sydney e da Austrália. Contudo, antes do inverno acabar resolvemos tirar o escorpião do bolso e conhecer Blue Mountains. Reconhecida pela Unesco como Patrimônio Histórico da Humanidade, a cidade, situada a cerca de 110 quilômetros de Sydney, possui paisagens naturais exuberantes, trilhas, cachoeiras, montanhas, cavernas, restaurantes bacanas e se você for no inverno, como nós, encontrará frio, muito frio (e se der sorte pode até cruzar com uma nevasca por lá – sim, na Austrália tem NEVE).

Para chegar a Blue Mountains, você tem duas opções saindo de Sydney: carro ou trem. Optamos pela primeira alternativa, mesmo sabendo que trem também é uma boa. Isso porque tínhamos a intenção de pernoitar por lá e fazer uma trip mais tranquila e sem aquela neurose de conhecer, sem conhecer, 37 lugares e atrações ao mesmo tempo.

Saímos num sábado antes do meio-dia. Por volta de 13 horas já estávamos encostando no Motel de beira de estrada que iria nos abrigar. O local, apesar do nome MOTEL, era bem bacaninha e arrumado. Tipo aqueles hoteizinhos aonde os irmãos Winchester (Supernatural) se hospedam enquanto estão caçando monstros nas pequenas cidades americanas. Pagamos 120 dólares australianos (AU$) por um dia, com check-in às 10 da manhã e check-out no mesmo horário do dia seguinte (o que mais para frente descobrimos ser uma grande vantagem para gente). Nos chamou a atenção a estrutura de “atendimento” do local: 100% automático. Pegamos a chave do quarto por meio de uma máquina e no tempo que ficamos lá só esbarramos com um funcionário do local na hora de entregar as chaves. Mas enfim, vamos ao que interessa, os passeios.

DCIM156GOPRO

Three sisters

Local mais famoso de Blue Mountains, fica localizado na cidade de Katoomba (120 km de Sydney). Possui um cenário exuberante das montanhas e da famosa rocha das Três Irmãs. Além de contar com diversos pontos de observação da natureza, você pode pegar uma trilha que te leva até o meio das Three Sisters. Se você tem medo de altura esse passeio pode gelar a espinha, principalmente na ponte que leva entre uma rocha e a pedra das Três Irmãs. Os amantes de selfie vão adorar esse local.

Só a Mônica teve coragem de andar na ponte...
Só a Mônica teve coragem de andar na ponte…

Das Três Irmãs você pode dar continuidade numa trilha chamada Giant Stairway. Mas se prepare, pois, as palavras GIANT e STAIR (escada gigante em português) não são para qualquer um.  Dizem que no final dessa escadaria você se depara com uma exuberante cachoeira e uma belíssima mata fechada. Dizem…..isso porque eu e a Mônica começamos a descida e paramos no meio.

A todo instante passávamos por pessoas que subiam as escadarias enquanto descíamos. Uma mais esbaforida que a outra. Alguns pareciam estar em vias de infartar ali mesmo. Resolvemos conversar com um desses moribundos que cruzavam nosso caminho em sentido oposto. Depois de recuperar o fôlego ele nos disse que ainda estávamos MUITOOOOO longe da cachoeira e que a única forma de retornar era subindo como ele. Olhei para Mônica, rimos juntos e abortamos a missão. Contudo, a meia-volta que demos para sair daquelas escadarias, que já estávamos descendo a cerca de 30 minutos, foi uma pequena amostra grátis do inferno que seria retornar se tivéssemos descido até sua base. Logo, fica a dica: se encarar essa bronca esteja preparado fisicamente, roupa própria para isso e água para a jornada.

Resolvemos dar meia volta e fazer uma trilha mais tranquila. Nào nos arrependemos.
Resolvemos dar meia volta e fazer uma trilha mais tranquila. Não nos arrependemos.

FullSizeRender (1)

Katoomba 

A cidadezinha de Katoomba, aonde se encontram as Three Sisters, é uma beleza. Praticamente apenas uma rua. Mas tem tudo que um turista precisa. Mercado, restaurantes, loja de bebidas….Aliás, muito cuidado ao entrar numa loja de bebida logo na entrada da cidade escrito SPECIAL WINE. Eu explico.

Entrei lá e um cachorro (desses pequenos insuportáveis) já começou a latir. O lugar era minúsculo. Da porta mesmo perguntei para a garçonete da santa-ceia que atendia no balcão se vendia cerveja ali. A senhora, sem dar um sorriso sequer, apenas apontou o dedo para um freezer ao lado dela. Entrei e fui conferir. Como não tinha o preço de NADA perguntei quanto estava a six pack da cerveja mais mequetrefe da Austrália (uma tal de VB).

– 20 dólares.

– Too much – (respondi com o sotaque brazuca que Deus me deu e curso de inglês nenhum tira).

– How much would you like to pay (quer pagar quanto seu folgado?) – disse a ex-namorada do Tutancamon, com a voz seca.

– 17 – Eu respondi.

– 19 – Retrucou achando que estava num daqueles realities show de leilão na TV.

– Too much. 17 – Eu rebati mostrando firmeza.

– 18.That`s it. Take now.

– 17

– What`s wrong with you? Take for 18 or get out of my place. Get out, get out (Pega essa porra por 18 ou sai fora daqui malandro folgado)  – Berrou a velha enquanto o cachorro latia ainda mais.

Saí da loja rindo e sem a cerveja. Imagina o que aconteceria se ela soubesse que na verdade eu queria pagar AU$ 13.

IMG_5879Voltemos ao que tem de bom para fazer nessa cidade. Na principal e quase única rua da cidade você encontrará alguns bares e restaurantes com preços justos. Jantamos num restaurante simpático que não lembro o nome (foi mal). Dois pratos, uma taça de vinho, uma cerveja e uma sobremesa saiu por AU$ 59. Saímos alimentados.

Ao chegar no motel que nos hospedamos fomos recepcionados por uma chuva de granizo muito forte que deixou as ruas e os carros cobertos de gelo. A temperatura estava em 1 C.

Viva o capitalismo

IMG_5907No dia seguinte levantamos cedo por causa do check-out do motel. Por volta das 10 horas da manhã já estávamos começando nossa programação para o segundo dia. O local escolhido foi o SCENIC WORLD, parque privado nas montanhas opostas as Three Sisters. Chegar cedo foi fundamental para tornar o passeio mais interessante, pois evitamos muitas filas.

Diferentemente da trilha que começamos a fazer no primeiro dia e desistimos (que era de graça), os caminhos a serem percorridos do local são super bem estruturados. As partes mais críticas das trilhas no meio das árvores têm até carpetes pra evitar quedas.

O parque tem três atrações que fazem a diferença:

Scenic Railway – Pequenos vagões que os mineiros utilizavam para subir e descer com minério pela montanha. Foi reformado pelo parque e garante uma emocionante descida e subida. Isso sem falar no visual.

Scenic Skyway – Uma espécie de bonde que liga as montanhas. A vista é de tirar o fôlego e o piso de vidro, que te da a impressão que está flutuando, também.

FullSizeRender (2)

Scenic Cableway – Uma espécie de bonde 2, que traz ou leva os turistas da base da montanha para seu topo ou vice-versa.

DCIM156GOPROAlém disso, o Scenic World conta com restaurantes, banheiros, trilhas com acesso para deficientes físicos e lojas para você comprar souvenir para toda família. Vale muito a pena. Custa AU$ 35 o ticket adulto. E se você ainda tiver paciência para procurar um pouquinho, ainda encontra uma cachoeira pelo caminho.

Ao final do dia, quando já estávamos dentro do carro para voltar, avistamos flocos de neve caindo do céu. Não chegava a ser uma nevasca, mas paramos o carro e ficamos na rua contemplando a paisagem.

COMO CHEGAR 

Trem – Viagem pode durar entre duas e três horas. Varia de acordo com o percurso que você pega. Se você viajar no domingo o trecho custa AU$ 2,50. Durante a semana é um pouco mais de AU$ 10 o trecho.

Carro – Uma hora e meia de viagem é o suficiente. As estradas são boas e sinalizadas. Pedágios são cobrados no caminho e gasta-se cerca de AU$ 40 de combustível.

Um videozinho com os #snapsaves da Mônica (@monicaplaza):

3 comentários em “Dica de viagem na Austrália: Blue Mountains

  1. Belo texto, belas fotos.
    Amor, Paz, Saúde, Felicidade.
    Curtam Bastante.
    Fiquem com DEUS.
    Beijos para Zezé & Mônica.
    Com Amor & (muitas) Saudades,
    PAPAI.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s